A Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (M.A.P.A.) é o exame que mede a pressão arterial a cada 20 minutos, durante 24 horas, para a obtenção do registro da pressão arterial durante a vigília e o sono.

Tem como objetivo analisar o comportamento da pressão arterial não somente durante a vigília e o sono, como também durante eventuais sintomas como tontura, dor no peito e desmaio. Além disso, possibilita a avaliação da eficácia do tratamento anti-hipertensivo.

Como é feito?

No dia e horário agendados, é feita a instalação do equipamento no paciente, que permanece com ele durante 24 horas.

O equipamento é composto por um monitor leve e pequeno – colocado na cintura – que conectado por um tubo plástico fino a uma braçadeira colocada no braço não dominante, exceto se houver alguma contraindicação.

A cada 20 minutos o monitor insufla a braçadeira e registra a pressão obtida.

Após as 24 horas, o paciente retorna ao local do exame para retirada do equipamento. O monitor é conectado ao computador e um software especialmente construído para esta função desenha um gráfico das pressões registradas nas 24h.

O exame deve ser realizado em um dia representativo da sua atividade diária. Assim, é fundamental manter as atividades rotineiras.

Será fornecido ao paciente um impresso chamado “diário de atividades” onde devem ser anotados os horários em que dormiu, acordou, almoçou, jantou, assim como eventuais sintomas e atividades ou eventos importantes.

Indicações

Suspeita de hipertensão do avental branco – condição na qual o paciente apresenta pressão acima do normal no consultório médico e pressão normal fora dele; quando o médico suspeita desta condição o exame pode estabelecer o diagnóstico correto.
Avaliação da eficácia do tratamento da hipertensão nas 24 horas, tanto no sono quanto na vigília.
Avaliação de sintomas, principalmente os relacionados à hipotensão (pressão baixa).

Contraindicações

Quando não é possível ajustar a braçadeira ao braço do paciente.
Quando o paciente apresenta valores muito elevados de pressão máxima, arritmias cardíacas ou parkinsonismo.

Preparo

Tomar banho antes do exame, pois não é recomendada a retirada do aparelho durante o exame.
Trazer um cinto de sua preferência para colocação do monitor na cintura.
Trazer a lista de medicamentos em uso com dose e horários preconizados.
Seguir a orientação do seu médico sobre a utilização das medicações de uso crônico e sobre a prática de exercícios físicos nas 24 horas que antecedem o exame.

Holter 24 horas

O eletrocardiograma de repouso, muito conhecido por todos, geralmente nomeado abreviadamente como ECG, registra em papel especial a atividade elétrica existente no coração. É feito no consultório ou nos centros de diagnóstico, registra cerca de 80 batimentos do coração, é realizado com a pessoa deitada e relaxada sendo, portanto um exame estático.
Avaliar as variações do ritmo e da frequência cardíaca que ocorrem ao longo das 24 horas, denominadas ‘variações circadianas espontâneas’;
Avaliação de sintomas muito frequentes que ocorrem de forma paroxística, ou seja, que aparecem e desaparecem de forma inesperada;
Avaliar o risco dos eventos arrítmicos (arritmias) por meio da análise da modulação do controle do sistema nervoso autônomo sobre o coração (“variabilidade RR”).

Contraindicações
Não há.

Preparo
Tomar banho antes do comparecimento ao hospital.
Não usar cremes na pele do tórax antes do procedimento.
É fundamental, em caso de pacientes portadores de marcapasso, trazer a carteirinha de identificação do marcapasso para cópia das informações. A falta destas informações prejudica e até impede a análise e interpretação do exame.

Como é feito
Os quarto eletrodos de contato são aderidos ao tórax do paciente e conectam-se ao gravador por meio de cabos. O monitor é afixado à cintura do paciente.
O paciente é orientado a acionar o botão de eventos sempre que apresentar um sintoma e a redigir um diário com as atividades realizadas no dia da monitorização e seus respectivos horários.

Orientações durante o período que permanece com o Holter
Não deitar sobre colchões ou travesseiros magnéticos, pois os mesmos emitem ondas energéticas que interferem impedindo a gravação da atividade elétrica do coração.
Liberada a utilização de telefones celulares, microondas e todos os equipamentos eletrodomésticos.

Orientação após a retirada do Holter
Utilizar creme hidratante após o banho.
Se apresentar lesões nos locais de colocação dos eletrodos, entrar em contato com o Setor de Arritmia e Monitorização.
Não expor a pele do tórax onde estavam os eletrodos ao sol por 3 a 5 dias.

Limitações
Como permanece apenas 24 horas com o paciente, a chance da ocorrência de sintomas duração da monitorização é menor que a do sistema de monitorização de eventos que permanece vários dias com o paciente.

O teste ergométrico serve para a avaliação ampla do funcionamento cardiovascular, quando submetido a esforço físico gradualmente crescente, em esteira rolante. São observados os sintomas, os comportamentos da frequência cardíaca, da pressão arterial e do eletrocardiograma antes, durante e após o esforço.

Os principais objetivos do teste são diagnosticar e avaliar a doença arterial coronária. Avalia também a capacidade funcional cárdiorrespiratória; detecção de arritmias, de anormalidades da pressão arterial e de isquemia miocárdica; avaliar surgimento de sopros, sinais de falência ventricular esquerda e dos eventuais sintomas que podem acompanhar essas disfunções; avaliação funcional de doença cardíaca já conhecida; prescrição de exercícios físicos.

O Eco-Doppler Arterial Periférico dos Membros Superiores e/ou Inferiores é um exame não invasivo, principalmente indicado no diagnóstico da aterosclerose e quantificação do processo da ateromatose das artérias, ou seja, do processo de formação de placas de ateroma (gordura e outras substâncias) na parede das artérias, podendo causar um estreitamento (estenoses) ou oclusão, destas.
Este exame permite ainda a identificação de aneurismas nestes sectores vasculares. A aterosclerose pode atingir todo o sistema cardiovascular, sendo as artérias dos membros inferiores mais susceptíveis de desenvolverem este tipo de patologia.
A avaliação das artérias dos membros inferiores e superiores por Eco-Doppler é particularmente indicada na sintomatologia da isquémia periférica.
Esta caracteriza-se por claudicação intermitente (dor tipo cãibra localizada nos membros inferiores que surge após exercício físico ou caminhada); sensação de pulsos fracos; membros frios ou parestesias (dor; frio; calor; dormência dos membros). O estudo por eco-Doppler possibilita a identificação dos vasos envolvidos pela doença, a sua extensão e a gravidade da mesma. Para além da sua valência diagnóstica, o eco-Doppler possibilita a determinação da terapêutica adequada.
Este exame é primeiramente realizado com recurso à ecografia, em que se analisam as artérias na sua morfologia e se caracterizam, caso existam, espessamentos e placas. Seguidamente, recorre-se à técnica de estudo de Doppler a cor e Doppler pulsado para detecção de áreas de aceleração da velocidade do fluxo sanguíneo nas artérias e classificação do seu grau de gravidade.
Esse exame analisa a anatomia das artérias, sua morfologia interna, medir a velocidade do fluxo sangüíneo, possibilitando o diagnóstico de estenoses (estreitamentos), aneurisma e arteriosclerose
Esse exame aliou uma técnica não invasiva, que é a ultra-sonografia, com as informações sobre as artérias renais e seu respectivo fluxo sanguíneo, introduzindo um elemento dinâmico nos estudos ultra-sonográficos ao permitir a investigação detalhada e não invasiva da hemodinâmica da área examinada, que pode ser avaliada quantitativa e qualitativamente, não só do ponto de vista morfológico, mas também funcional. Nessa cartografia dinâmica, o sentido do fluxo é codificado pelas cores azul e vermelha. Esta imagem em cores é sobreposta à imagem em escala de cinzas no plano bidimensional da ultra-sonografia em tempo real, permitindo identificar o fluxo e o sentido do sangue. É um método que não utiliza nenhum tipo de radiação e não apresenta efeitos colaterais. Para este exame é necessário jejum, para que se possa avaliar de forma adequada estruturas mais profundas, como as artérias renais, o pâncreas e a aorta.

PREPARO PARA O EXAME

Na véspera do exame:
1- Tomar 30 gotas de Lufital de 03 em 03 horas.
2- As 15:00 horas tomar 03 comprimidos de Lactopurga (ou qualquer outro laxante de escolha).
3- Fazer dieta liquida a partir das 15:00 horas.
4- Não ingerir leite ou refrigerante na véspera.

No dia do exame:
1- Tomar 04 copos de água 40 minutos antes da realização do exame e manter a bexiga cheia ate o mesmo.
2- Jejum de 08 horas

Trazer exames anteriores relacionados (radiografias, ultra- sonografias, tomografias computadorizadas e/ou ressonâncias magnéticas).
Chegar 20 minutos antes do horário agendado.

Consiste na visualização das artérias ilíacas, que levam o sangue proveniente da aorta abdominal em direção as artérias dos membros inferiores. Utiliza-se um transdutor que desliza pela pele da barriga em direção à virilha. Com este exame é possível verificar a presença de tortuosidades, placas de gordura, obstruções (entupimentos) e trombose aguda (coágulo). É indicado para o diagnóstico de trombose arterial aguda (dor aguda nas pernas acompanhada de coloração roxa dos dedos dos pés) e para claudicação intermitente (dor nas pernas ao caminhar).

Preparo:

Jejum de 8 horas (a última refeição deverá ser leve). Tomar 40 gotas de Dimeticoma de 6/6 horas, começar na véspera do exame. Importante: Trazer exames anteriores relacionados a este pedido médico.